Lançado edital para construção do Complexo Industrial de Biotecnologia em Saúde

0
46

Foi lançado o edital de licitação para construção do Complexo Industrial de Biotecnologia em Saúde do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos). A Bio-Manguinhos é a unidade da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) responsável por pesquisa, inovação, desenvolvimento tecnológico e pela produção de vacinas, reativos e biofármacos.

“O Ministério da Saúde tem orgulho hoje, junto com a Fiocruz, de lançar o maior complexo industrial de biotecnologia em saúde da América Latina. Isso é uma coisa muito importante. E, se havia dúvida sobre essa importância, a Covid -19 tirou essa dúvida. Nós precisamos ser autossuficientes na produção de IFA [Insumos Farmacêuticos Ativos], na produção de vacinas, de insumos, para combater esse e os próximos vírus que virão. Esse é um marco para a saúde pública do Brasil e para o nosso Sistema Único de Saúde”, ressaltou o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

O novo complexo, que conta com o apoio do Ministério da Saúde, será o maior centro de fabricação de produtos biológicos da América Latina e um dos mais modernos do mundo. Será construído em um terreno de 580 mil metros quadrados, em Santa Cruz, no Rio de Janeiro, a cerca de 57 quilômetros do campo Manguinhos, também no Rio de Janeiro.

Instalações e capacidade

As instalações do novo empreendimento contarão com avançadas tecnologias que permitirão à Fiocruz aumentar em quatro vezes a capacidade de imunobiológicos, fornecendo mais de 600 milhões de doses de vacinas e de frascos e seringas de biofármacos. Isso reduzirá a dependência tecnológica do país e garantirá respostas rápidas em situações de emergências sanitárias. O novo local também permitirá uma melhor prevenção e tratamento de doenças infectocontagiosas, crônicas e raras.

“Essas vacinas que serão produzidas em todo o complexo de Bio-Manguinhos, em Santa Cruz, servirão para salvar vidas não só no Brasil, mas na América Latina”, afirmou o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello 

Segundo a Bio-Manguinhos, em 2020, 45% das doses adquiridas pelo Programa Nacional de Imunizações foram importadas. De acordo com a Fiocruz, o novo empreendimento será uma oportunidade de o Brasil desenvolver pesquisa, ciência e tecnologia para o Sistema Único de Saúde.

Como destacou Eduardo Pazuello, o complexo representa um grande reforço para o Programa Nacional de Imunização. “Isso demonstra responsabilidade. Nós estamos reconstruindo um legado que nós recebemos de Oswaldo Cruz. Esse legado tem 120 anos. Nós vamos reforçar esse legado e vamos projetar para os próximos cem anos a nossa posição no Rio de Janeiro e no Brasil”, afirmou o ministro.

“Essas vacinas que serão produzidas em todo o complexo de Bio-Manguinhos, em Santa Cruz, servirão para salvar vidas não só no Brasil, mas na América Latina”, completou.

Construção do complexo

O projeto de construção do Complexo Industrial de Biotecnologia em Saúde do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos priorizará a sustentabilidade e estará comprometido com o meio ambiente. Serão usados painéis de captação de energia solar, reservatórios para a água da chuva, sistema de re-uso de água, entre outras iniciativas. No terreno, já foram plantadas 30 mil árvores que formarão um cinturão verde de mata atlântica para preservar a biodiversidade local.

Na primeira etapa das obras, o empreendimento gerará cerca de cinco mil empregos diretos e, depois de pronto, durante a operacionalização, cerca de 1.500 postos de trabalho.

Source: Portal Gov.br