US Customs CBP apreende milhares de carteiras de identidade e de motorista falsas despachadas da China para os EUA

Oficiais federais da US Customs and Border Protection (CBP) recentemente interceptaram mais de 15.000 carteiras de motorista falsas e mais de 13.100 cartões de identidade em branco, usados ​​para fazer carteiras falsificadas em Kentucky e New York, segundo a Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA (CBP).

As identidades foram despachadas da China para vários locais em Nova York, informou a agência federal, acrescentando que as carteiras de motorista falsas foram apreendidas em um centro de Operações de Consignação Expressa de encomendas em Louisville, Ky. As licenças eram destinadas para vários estados, incluindo Flórida, Michigan, Illinois, Missouri, Nova Jersey e Ohio. Muitas estavam ocultas em encomendas comuns como tênis, roupas, utensilios diversos, entre outros produtos de importação corriqueira por correios.

As autoridades de Louisville notificaram os oficiais da CBP em Memphis, já que os cartões de identificação falsos também foram enviados para essa área, resultando em 1.527 carteiras de motorista falsificadas adicionais no Tennessee, disseram autoridades.

Um dos embarques apreendidos foi encaminhado para um estuprador infantil condenado na área de Nova York, segundo o CBP, que acrescentou que os investigadores suspeitam que o indivíduo atraia menores de idade com álcool e identidades falsas antes de se envolver em atividades ilícitas. A Segurança Interna e a Policia Estadual está investigando o caso.

As autoridades competentes que investigam o caso dos IDs falsos são frequentemente comprados e vendidos através de transações da “dark web” e o maior receio são, “ das principais preocupações relacionadas a documentos de identidade fraudulentos são roubo de identidade, proteção de infraestrutura crítica, fraude vinculada a crimes relacionados à imigração, como contrabando e tráfico de pessoas, e esses documentos podem ser usados ​​por indivíduos associados a terrorismo para minimizar o escrutínio das medidas de controle de viagens ”.

De acordo com as autoridades competentes dessa investigação dos EUA, a China é atualmente o maior fornecedor de documentos falsos de alta qualidade para o mercado negro via dark web, e, os maiores compradores são elementos oriundos do Oriente Médio e Africa que tentam se passar por naturais dos EUA, Canada e Europa mundo afora.

Esse aumento de apreensões de remessas de documentos falsos para vàrios destinos dos EUA é coincidentemente proprocional ao aumento da imigração clandestina de populações do Oriente Médio e Africa para a Europa, Canadà e EUA, desde os anos 2000.

  • Com informações Fox News, NY Post e Reuters via redação Orbis Defense Europe.

O post US Customs CBP apreende milhares de carteiras de identidade e de motorista falsas despachadas da China para os EUA apareceu primeiro em DEFESA TV.


Source: DefesaTV Mundo

Ataque terrorista islâmico em Londres, alerta de bomba e um atacante morto pela Polícia

Uma Polícial Feminina armada consegiu neutralizar um homem em London Bridge depois que várias pessoas ficaram feridas em um ataque com faca, em um incidente que os policiais estão tratando “como relacionado ao terror”.

A Polícia Metropolitana de Londres foi chamada às 13h58m (horario local) para uma ocorrência de ataque à facão e mùltiplos disparos de tiros nas instalações próximas à London Bridge. Chegando ao local a Polícia Metropolitana de Londres acabou por localizar e neutralizar um homem, que foi flagrado atacando pessoas aos gritos de “Allah au akbar” com um facão, e que estava sob a provàvel cobertura de um outro indivìduo que aparentemente seria seu comparsa.

A Scotland Yard disse que está tratando o incidente “como se estivesse relacionado ao terror” e confirmou que um atacante foi neutralizado e um outro detido. Nesta fase inicial, as circunstâncias relacionadas ao incidente permanecem incertas. No entanto, como precaução, a Scotland Yard està atualmente respondendo a este incidente como diretamente relacionado a terrorismo.

Testemunhas oculares disseram que viram o que acreditavam ser uma briga entre vários homens tentando conter outro homem que tentava atacar transeuntes com um facão no local do ocorrido. Acredita-se que várias dezenas de pessoas foram feridas, pois muitas fugiram do local procurando ajuda nos hospitais pròximos.

A polícia também evacuou a estação de London Bridge e toda a área circundante, incluindo escritórios e restaurantes, e também um cordão de isolamento foi instalado no Borough Market enquanto a evacuação continua em lojas e empresas próximas devido à um possivel alerta de ameaça de bomba na região.

O Primeiro Ministro Boris Johnson jà está retornando de seu distrito eleitoral de Uxbridge e South Ruislip para Downing Street, onde obterá mais informações sobre o incidente da London Bridge.

  • Com informaçõs do The Telegraph, AFP e Reuters via redação Orbis Defense Europe.

O post Ataque terrorista islâmico em Londres, alerta de bomba e um atacante morto pela Polícia apareceu primeiro em DEFESA TV.


Source: DefesaTV Mundo

Entrevista com o conselheiro militar do Brasil na ONU, almirante Liseo Zampronio

O conselheiro militar do Brasil junto às Nações Unidas, almirante de esquadra Liseo Zampronio, fala sobre a cooperação do país com as operações de paz da ONU. O conselheiro falou sobre o apoio do Brasil à iniciativa da organização de ampliar a participação de mulheres nos esforços internacionais de paz, destacando que as forças brasileiras têm investido cada vez mais na formação e indicações de novas oficiais.

  • Via ONU NEWS

O post Entrevista com o conselheiro militar do Brasil na ONU, almirante Liseo Zampronio apareceu primeiro em DEFESA TV.


Source: DefesaTV Mundo

Delegação da Rússia visita a sede da PRF

O diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Adriano Marcos Furtado, recebeu, na tarde desta quinta-feira (21), na Sede da PRF, em Brasília, a delegação do Ministério do Interior da Rússia. O vice-ministro, Igor Zubov, liderou a comitiva, acompanhado do embaixador, Sergey Akopov, do adido civil, Konstantin Korchagin, e outros integrantes do ministério e da embaixada russa no Brasil. O grupo conheceu o trabalho da PRF e os principais desafios enfrentados pela instituição.

IMG_0062-e1574441732671

Durante a visita, foram apresentados dados estatísticos de acidentes e mortes nas rodovias federais brasileiras e também dados comparativos sobre apreensões realizadas nos anos de 2018 e 2019. Os números causaram uma boa impressão aos visitantes. Eles ficaram impressionados com as inúmeras atribuições da PRF e com os resultados operacionais alcançados nos últimos anos.

“A Polícia Rodoviária Federal é a fiel defensora da segurança nas rodovias do Brasil.  Além de cuidar da circulação e segurança do tráfego nas rodovias, a PRF também atua no combate à criminalidade, em particular, ao tráfico de drogas e contrabando, obtendo excelentes resultados”, disse o vice-ministro do Interior da Federação Russa,  Igor Zubov.

Adriano Furtado destacou que essa aproximação da PRF com o governo russo é de extrema importância, proporcionando futuras parcerias, por meio de cooperação técnica, que irão beneficiar ambos os países. “Foi muito valiosa essa troca de experiência em monitoramento e policiamento rodoviário. O próximo passo será a assinatura do acordo de cooperação pelo ministro Sérgio Moro, que proporcionará uma série de interações, principalmente no campo do ensino, fortalecendo as instituições e oportunizando o aprendizado”, explicou o diretor.

IMG_0203-e1574441940191

Nesta sexta-feira (22), o ministro da Justiça e Segurança Pública do Brasil, Sérgio Moro, e o vice-ministro do Interior da Rússia, Igor Zubov, assinaram um acordo de cooperação bilateral cujo propósito é formar parcerias nas áreas de segurança viária, fiscalização e policiamento rodoviário. A Federação Russa, assim como o Brasil, estão investindo demasiadamente em tecnologias, organização, capacitação, fiscalizações e alterações legislativas. Esta colaboração entre os dois países, além de atender ao interesse público, fortalece as instituições que possuem o mesmo objetivo, reduzir o índice de violência no trânsito.

Moro-e1574521985290.jpg

O início das tratativas para a assinatura desse documento ocorreu durante a realização da Segunda Conferência Global de Alto Nível sobre Segurança no Trânsito, ocorrido em novembro de 2015, na capital federal.

Fonte: Agência PRF

O post Delegação da Rússia visita a sede da PRF apareceu primeiro em DEFESA TV.


Source: DefesaTV Mundo

Novas forças de combate dos EUA entraram no nordeste da Síria

Novas forças dos EUA entraram no nordeste da Síria em 26 de novembro, vindo da região iraquiana do Curdistão , de acordo com o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (SOHR). Ainda não hà maiores informações da unidade que està em campo e se vieram diretamente dos EUA ou de outras bases na região.

O grupo de monitoramento com sede no Reino Unido disse em um relatório que as forças consistiam em três veículos blindados e três “tanques de batalha”, o que provavelmente significa veículos de combate M2A2 Bradley Infantry (IFVs).

“Aviões de combate dos EUA escoltaram o comboio, de acordo com relatório da SOHR.

Essas forças provavelmente irão para uma das bases americanas restantes nas províncias sírias de al-Hasakah e Deir Ezzor, onde os militares dos EUA supostamente estão “guardando” campos de petróleo. A coalizão liderada pelos EUA e a SDF já retomaram suas operações antiterroristas em Deir Ezzor.

No início deste ano, os EUA tinham 1.000 militares em serviço no nordeste da Síria. A maioria dessas tropas foi retirada em outubro passado para facilitar um “avanço no terreno” liderado pela Turquia à região.

Agora, o Pentágono diz que manterá cerca de 500 soldados na região nordeste para “vigiar” os campos de petróleo sírios e conduzir operações conjuntas com as Forças Democráticas da Síria (SDF) lideradas pelos curdos contra os remanescentes do ISIS na região.

Cerca de 500 militares americanos ainda estão destacados no leste da Síria e em breve retomarão as operações antiterroristas na região, de acordo com declaração do chefe do Comando Central dos EUA (CENTCOM), General Kenneth McKenzie, em 23 de novembro.

O comandante do CENTCOM fez sua declaração à margem da cúpula de segurança do Diálogo Manama na capital do Bahrein.

“Agora, temos cerca de 500 militares dos EUA a leste do rio Eufrates, a leste de Deir Ezzor até al-Hasakah, a nordeste até o extremo nordeste da Síria”, disse McKenzie. “É nossa intenção permanecer nessa posição, trabalhando com nossos parceiros das Forças Democráticas da Síria (SDF) para continuar as operações contra o ISIS no vale do rio Eufrates, onde esses alvos se apresentam. ”

No mês passado, as tropas americanas retiraram a maior parte de suas posições nas províncias de Aleppo e Raqqa e várias bases no norte de al-Hasakah, a fim de facilitar um ataque liderado pela Turquia à região controlada pelos SDF.

O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou mais tarde que uma parte das forças americanas permanecerá no leste da Síria para “vigiar” os campos de petróleo e combater os remanescentes do ISIS.

  • Com informações STF Analysis & Intelligence e Syrian Observatory for Human Rights (SOHR) via redação Orbis Defense Europe.

O post Novas forças de combate dos EUA entraram no nordeste da Síria apareceu primeiro em DEFESA TV.


Source: DefesaTV Mundo

Reino Unido exige que China conceda acesso da ONU a campos de detenção de muçulmanos

O Reino Unido instou a China a dar aos observadores da ONU “acesso imediato e sem restrições” a campos de detenção onde mais de um milhão de muçulmanos de etnia uigures estão detidos.

Isso ocorre depois que documentos vazados do Partido Comunista mostraram como os uigures e outras minorias étnicas são isolados de suas famílias e submetidos a lavagem cerebral sistemática nos campos de Xinjiang .

Os arquivos oficiais, divulgados ao Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos, também mostram como os suspeitos são identificados – geralmente antes de cometerem um crime – por meio de um programa digital de vigilância em massa.

Eles são encarcerados sob regras rígidas, com um memorando do chefe de segurança de Xinjiang explicando como evitar fugas, manter a segurança sobre a existência dos campos e como monitorar e controlar vários aspectos da vida do detido.

Em resposta à divulgação dos documentos, o Ministério das Relações Exteriores disse ter “sérias preocupações com a situação dos direitos humanos em Xinjiang e a crescente repressão do governo chinês, em particular a detenção extrajudicial de mais de um milhão de muçulmanos uigures e outras minorias étnicas”.

O governo da República Popular da China apóia oficialmente o ateísmo estatal e conduziu campanhas anti-religiosas para atingir esse objetivo. Desde 2014, o Partido Comunista Chinês mudou suas políticas em favor da total sinicização das minorias étnicas e religiosas, principalmente contra o que é considerada a “grande ameaça islâmica” dentro da China. A tendência se acelerou em 2018, quando a Comissão Estadual de Assuntos Étnicos e a Administração Estatal de Assuntos Religiosos foram colocadas sob o controle do Departamento de Trabalho da Frente Unida .

Detidos ouvindo discursos em um campo de reeducação no Condado de Lop , Xinjiang, abril de 2017. Imagem via AFP.

Em fevereiro de 2019, o príncipe herdeiro da Arábia Saudita , Mohammad bin Salman, defendeu os campos, dizendo que “a China tem o direito de realizar trabalhos antiterroristas e de des extremização para sua segurança nacional”.

Em fevereiro de 2019, o príncipe herdeiro da Arábia Saudita , Mohammad bin Salman, defendeu os campos, dizendo que “a China tem o direito de realizar trabalhos antiterroristas e de des extremização para sua segurança nacional”.

Em 1 de março de 2019, a OIC-Organização para Cooperação Islâmica produziu um documento que “elogia os esforços da República Popular da China no atendimento aos cidadãos muçulmanos”

Em 26 de julho de 2018, a Comissão Executiva do Congresso sobre a China (CECC), uma agência independente do governo dos EUA que monitora os direitos humanos e os desenvolvimentos do Estado de Direito na República Popular da China, divulgou um relatório que dizia até um milhão de pessoas estão ou foram detidos nos chamados centros de “reeducação política”, o maior encarceramento em massa de uma minoria étnica no mundo atual.  Em 27 de julho de 2018, a Embaixada e Consulado dos EUA na Chinadivulgou a Declaração Ministerial de Avanço da Liberdade Religiosa sobre a China, que mencionava a detenção de centenas de milhares, e possivelmente milhões, de uigures e membros de outros grupos minoritários muçulmanos em “campos de reeducação política”, e chamou o governo chinês a liberar imediatamente todos aqueles arbitrariamente detidos.

O que são os “Campos de reeducação de Xinjiang”

Os campos de reeducação de Xinjiang , oficialmente chamados de “Centros de Treinamento e Educação Profissional” pelo governo da República Popular da China , são campos de concentração que foram operados por o governo regional autônomo uigur de Xinjiang com o objetivo de internar muçulmanos uigures desde 2014. Os campos foram estabelecidos sob a administração do secretário geral Xi Jinping .

Eles se expandiram significativamente desde que um secretário do partido , Chen Quanguo , assumiu o comando da região em agosto de 2016. Esses campos são declaradamente operados fora do sistema legal ; muitos uigures foram internados sem julgamento e nenhuma acusação foi feita contra eles.

As autoridades locais estão mantendo centenas de milhares de uigures e muçulmanos de outras minorias étnicas nesses campos, com o objetivo declarado de combater o extremismo e o terrorismo , além de promover a sinicização (imposição da cultura e comportamento chinês nacionalista comunista) .

A partir de 2018, calcula-se que as autoridades chinesas tenham detido centenas de milhares, talvez um milhão, de uigures , cazaques , quirguizes , hui ( todos muçulmanos) e outros muçulmanos étnicos turcos , cristãos , além de alguns cidadãos estrangeiros, como o Cazaquistão , que são mantidos nesses acampamentos secretos em toda a região. Em maio de 2018, Randall Schriver, do Departamento de Defesa dos Estados Unidos alegou que “pelo menos um milhão, mas provavelmente perto de três milhões de cidadãos jà foram presos em centros de detenção, em uma forte condenação aos “campos de concentração”. Em agosto de 2018, um painel de direitos humanos das Nações Unidas disse ter recebido muitos relatórios confiáveis ​​de que 1 milhão de uigures étnicos na China foram mantidos em “campos de reeducação”.

Em 2019, os embaixadores das Nações Unidas de 23 nações, incluindo Austrália , Canadá , França , Alemanha , Japão , Reino Unido e Estados Unidos assinaram uma carta condenando a detenção em massa da China dos uigures e outros grupos minoritários, instando o governo chinês a fechar os campos.

Na contra-mão dessa iniciativa do ocidente, paìses como a Argélia , República Democrática do Congo , Rússia , Arábia Saudita , Síria , Irã , Paquistão , Coréia do Norte ,Egito , Nigéria , Filipinas e Sudão estão entre outros 54 estados que assinaram uma contra-carta de apoio à política da China em Xinjiang.

  • Com informações do New York Times e The Independent via redação Orbis Defense Europe.

O post Reino Unido exige que China conceda acesso da ONU a campos de detenção de muçulmanos apareceu primeiro em DEFESA TV.


Source: DefesaTV Mundo

Homenagem às vítimas da Intentona Comunista

Na manhã do dia 27 de novembro ocorreu a Cerimônia em Homenagem às vítimas da Intentona Comunista de 1935, realizada pelo Comando Militar do Leste (CML) no Monumento aos Heróis, localizado na Praça General Tibúrcio, na Urca. A solenidade foi iniciada com a execução do Hino Nacional, seguida de leitura do histórico alusivo à Intentona Comunista de 1935, aposição floral junto mausoléu, lançamento de pétalas de flores, chamada nominal dos heróis, toque de silêncio e uma salva de gala executada pela bateria de obuses. 

Participaram da cerimônia autoridades civis e militares, dentre as quais o Chefe-de-Estado Maior do Com1ºDN, Contra-Almirante Fernando Ranauro Cozzolino, que representou a Marinha do Brasil no evento.

O post Homenagem às vítimas da Intentona Comunista apareceu primeiro em DEFESA TV.


Source: DefesaTV Mundo

Irã realiza seu maior exercício de defesa aérea em larga escala

Em 22 de novembro, o Irã iniciou exercícios de defesa aérea em larga escala, codinome “Modafe’an-e Aseman-e Velayat 98” (Sky-98 dos Guardiões do Velayat). Esse é o maior exercício realizado em  sua era de forças armadas modernas, superando mesmo as mobilizações da época da guerra Irã X Iraque nos anos 80! Além da gigantesca quantidade de pessoal empenhado e do emprego de equipamentos modernos, muitos considerados equipamentos de ponta que podem se comparar em “alguns aspectos”, aos similares ocidentais e russos de ultima geração.

De acordo com fontes iranianas, o exercìcio se concentra na capacitação de resposta rápida das forças defensivas e na capacidade de implantar rapidamente sistemas de mísseis, radar e artilharia após as operações, comunicação segura e multicamada entre sistemas de defesa, comunicação adequada entre equipamentos e forças operacionais e a rede de vigilância de radares e sensores diversos.

Foram também conduzidos exercìcios com voos não tripulados de inteligência e identificação na zona de combate geral, invasão de aeronaves de combate e ações táticas e defensivas contra aeronaves de ataque, sob a orientação da rede integrada de defesa aérea do país, foram outras medidas nessa etapa do treinamento aéreo.

As operações de reabastecimento aéreo na zona de combate também foram conduzidas com a orientação dos Oficiais de Controle de Fronteiras da Defesa Aérea, praticando processos de defesa aérea, incluindo a detecção, interceptação e ataque eletrônico de sistemas de defesa aérea nesta fase da perfuração.

A série de exercìcios que começou no dia 22 de novembro ainda não terminou, aparentemente não tem previsão de encerramento para os pòximos dias e tenciona ser também uma grande propaganda de prontidão e capacidade para a disuasão de intenções de ataques israelenses e/ou de uma possìvel coalizão liderada pela Aràbia Saudita com a participação dos EUA mesmo que como coadjuvante operacional.

#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item1 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/37-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item2 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/36-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item3 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/35-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item4 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/34-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item5 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/33-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item6 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/32-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item7 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/30-1-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item8 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/29-1-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item9 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/28-1-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item10 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/27-1-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item11 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/26-1-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item12 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/25-1-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item13 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/24-1-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item14 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/23-1-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item15 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/22-1-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item16 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/21-1-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item17 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/20-1-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item18 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/19-1-1-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item19 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/19-1-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item20 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/18-1-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item21 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/17-1-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item22 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/15-1-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item23 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/14-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item24 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/13-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item25 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/12-1-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item26 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/11-2-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item27 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/10-2-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item28 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/9-2-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item29 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/8-4-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item30 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/7-5-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item31 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/6-7-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item32 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/5-7-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item33 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/4-11-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item34 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/3-18-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item35 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/2-25-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item36 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/1-127-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}
#td_uid_1_5ddd9d0c532bd .td-doubleSlider-2 .td-item37 {
background: url(https://www.defesa.tv.br/wp-content/uploads/2019/11/2-24-80×60.jpg) 0 0 no-repeat;
}

Colisão entre helicópteros mata 13 militares no Mali

Nessa terça dia 26, foi confirmada pelo Ministére des Armées da França, uma colisão em voo de dois helicópteros militares, que estão integrados no contingente das forças francesas estacionadas no Mali, país da África Ocidental. O acidente causou a morte de 13 militares, todos franceses, que regressavam de uma operação contra grupos extremistas islâmicos do Boko Haran. As causas do acidente ainda estão sob investigação das autoridades militares competentes.

O acidente em fato, aconteceu na tarde da segunda-feira, dia 25 de novembro. O Ministére des Armées divulgou um comunicado em que confirma a morte de seis oficiais superiores, seis oficiais subalternos e um sargento das Forças Armadas, que seguiam nos dois helicópteros, que estavam envolvidos numa operação de combate contra jihadistas, no sul do Mali, próximo da fronteira com o Burkina Faso e o Níger. Entre as vítimas encontram-se militares da Força Aérea, pilotos e tripulantes técnicos, e do Exército, que tinham participado na operação no terreno. Os aparelhos acidentados são um Eurocpter “Tigre”, tripulado por dois pilotos, e um “Cougar”’, onde seguiam os outros 11 militares.

Os militares falecidos integravam o contingente militar francês, composto por cerca de 4.500 efetivos, que a França lançou em 2013, em apoio à defesa do território do Mali, ameaçado por grupos extremistas, nomeadamente no norte e centro deste país africano.

Este acidente eleva para 38 o número de soldados franceses mortos no Mali desde o início da intervenção francesa. Desde há 34 anos que as Forças Armadas Francesas não tinham um desastre tão mortífero. Em 1983 morreram 58 paraquedistas no Líbano.

O Sahel é uma faixa de terreno entre o deserto do Saara, no norte de África, e a savana do Sudão, a sul. Está compreendida entre o Oceano Atlântico, a oeste, e o Mar Vermelho, a este, com cerca de 5.400 quilómetros de extensão e uma largura que vai de 500 a 700 quilómetros.

Além do contingente francês está estacionada no Mali uma força militar das Nações Unidas, com cerca de 15.000 militares de vários países, que conta com a participação de militares dos Estados Unidos da América, que estão construindo uma grande base aérea para em breve, possivelmente, assumir parte das operações de combate contra os diversos grupos de insurgência do terrorismo islâmico na região, que incentiva rebeliões civis e efetua ataques terroristas que causaram a morte de centenas de milhares de africanos inocentes.

  • Com informações do Ministére des Armées via redação Orbis Defense Europe.

O post Colisão entre helicópteros mata 13 militares no Mali apareceu primeiro em DEFESA TV.


Source: DefesaTV Mundo

Rússia mantem patrulhas terrestres e aérea na região norte na Síria

Tropas russas realizaram neste domingo (24), patrulhamento terrestre e aéreo ao longo de várias rotas na região norte da Síria. As patrulhas fazem parte de um acordo firmado com a Turquia para a região.

Tais atividades são parte do acordo entre Rússia e Turquia sobre o norte da Síria, disse o comandante do Centro Russo de Reconciliação síria.

“Aeronaves de combate russas realizaram patrulhamento aéreo nas rotas Kuweires-Metras-Kharab Bal-Kobane-Kuweires”, disse o major-general Yuri Borenkov em um briefing diário. Borenkov não especificou os tipos de aeronaves envolvidas na patrulha.

Após conversas entre o presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e da Turquia, Recep Tayyip, foi assinado, em 22 de outubro na cidade russa de Sochi, um memorando estipulando condições para a retirada pacífica da milícia curda na Síria para uma distância de 30 km da fronteira com a Turquia.

O documento de 10 pontos prevê uma variedade de missões de patrulha realizadas pelo contingente militar russo na Síria, guardas de fronteira sírios e tropas turcas, a fim de garantir a implementação do acordo.

O ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu, falou no dia 29 de outubro que a retirada de unidades da milícia curda da zona de segurança no nordeste da Síria havia sido concluída com antecedência.

  • Com agências internacionais

O post Rússia mantem patrulhas terrestres e aérea na região norte na Síria apareceu primeiro em DEFESA TV.


Source: DefesaTV Mundo