Por que os EUA contestam compra dos sistemas S-400 pela Turquia

A Rússia entregou na última sexta-feira (12) os primeiros componentes do sistema de defesa S-400 para a Turquia. A ação foi contestada pelo Pentágono e pode prejudicar o relacionamento da Turquia com os Estados Unidos e outros aliados da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Há muito tempo Washington avisa que, se a Turquia adquirir o sistema russo, os Estados Unidos podem impor duras sanções econômicas e revogar a participação da Turquia em programas militares americanos. Entenda como o sistema S-400 chegou na Turquia e o que pode acontecer a seguir:

O que é o sistema de defesa antimíssil S-400?

É um sistema de defesa terra-ar de longo alcance de fabricação russa. O S-400 é um dos equipamentos militares mais sofisticados da Rússia, com radar de vigilância avançado e um conjunto de mísseis que podem rastrear e atingir aeronaves a partir do solo.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, disse que optou por levar adiante a compra no valor de US$ 2,5 bilhões da Rússia, porque os Estados Unidos não fizeram uma oferta adequada para o seu próprio sistema de defesa aérea Patriot.

A Otan atualmente tem esse sistema posicionado na Turquia para seus próprios propósitos na Síria, mas a Turquia nunca comprou o equipamento de Washington. Oficiais da Otan têm preocupações de que a compra do S-400 não será compatível com outros sistemas já em uso na Turquia.

Por que os Estados Unidos contestam a compra do sistema S-400 pela Turquia?

A Turquia já havia encomendado cerca de 100 caças furtivos F-35 dos Estados Unidos, e quase mil peças do jato são fabricadas por empresas turcas.

Autoridades norte-americanas temem que, se a Turquia tiver nas mãos o F-35 e o sistema de defesa aérea mais avançado da Rússia, os russos possam ter acesso à tecnologia F-35 e, posteriormente, atingir os seus pontos fracos.

No final de maio, Kathryn Wheelbarger, subsecretária interina de defesa dos EUA, disse que o “S-400 é um sistema russo projetado para abater uma aeronave como o F-35”. Ela disse que “é inconcebível imaginar que a Rússia não vai aproveitar essa oportunidade de coleta de [informações de inteligência]”.

Na semana passada, o porta-voz do Pentágono, tenente-coronel Mike Andrew, disse que “a Turquia não terá permissão de ter os dois sistemas”.

O episódio colocou os Estados Unidos em uma situação desconfortável. Washington tem interesse em impedir que a Rússia tenha acesso aos seus avançados equipamentos militares, mas os Estados Unidos também dependem fortemente da Turquia como um parceiro importante na região por causa de sua localização estratégica na fronteira com Iraque, Irã e Síria.

O que Washington ameaçou fazer a respeito?

Autoridades norte-americanas já ameaçaram cancelar as entregas de jatos F-35 para Ancara e impor sanções econômicas à Turquia. E em abril, o Pentágono anunciou que estava suspendendo a participação da Turquia em um programa de treinamento de pilotos para o F-35, para aliados dos EUA, até que a Turquia concordasse em cancelar a compra do sistema S-400.

Mas no encontro do G20 em Tóquio no mês passado, o presidente Donald Trump colocou a culpa por toda a disputa no governo Obama, dizendo que “não é culpa de Erdogan, na verdade”.

Ele também disse que não achava que os Estados Unidos imporiam sanções à Turquia por causa do impasse. Parlamentares dos EUA de ambos os partidos se opuseram à posse pela Turquia de tanto o sistema S-400 quanto dos jatos F-35.

Como a Turquia defendeu sua decisão de seguir com a compra?

Erdogan disse que a aquisição do sistema russo está de acordo com o direito soberano da Turquia de se defender. No mês passado, Erdogan pediu aos Estados Unidos que não deixem a compra do S-400 deteriorar os fortes laços entre os dois países.

“Eles devem pensar seriamente, porque perder um país como a Turquia não será fácil”, disse Erdogan, referindo-se às autoridades em Washington. “Se somos amigos, se somos parceiros estratégicos, então devemos lidar com essa questão”.

A Turquia também disse que manterá os equipamentos dos EUA e da Rússia separados para evitar o acesso pela Rússia à tecnologia furtiva dos EUA. Erdogan expressou confiança de que seu relacionamento com Trump anulará as preocupações com sanções americanas.

“Eu digo isso de maneiro muito aberta e sincera, nossas relações com Trump estão muito boas”, disse Erdogan em junho. “No caso de qualquer problema, imediatamente corremos para o telefone”.

O que a Otan diz sobre tudo isso?

Na sexta-feira, um funcionário da Otan disse ao jornal Washington Post que a aliança estava “preocupada com as possíveis consequências da decisão da Turquia de adquirir o sistema S-400.

A interoperabilidade de nossas forças armadas é fundamental para a Otan conduzir nossas operações e missões “. Os primeiros componentes para o sistema chegaram nesta sexta-feira (12) chegaram a uma base aérea em Ancara, afirmou o Ministério da Defesa da Turquia.

  • Com informações do Jornal The Washington Post, por: Siobhán O’Grady

O post Por que os EUA contestam compra dos sistemas S-400 pela Turquia apareceu primeiro em DEFESA TV.


Source: DefesaTV Mundo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *