Saiba quais são as profissões do futuro na área de energia

0

O Ministério de Minas e Energia (MME) publicou o estudo “Profissões do Futuro na Área de Energia e Implicações para a Formação Profissional“, que traz a pesquisa da pasta sobre a demanda por formação profissional do setor de energia e sobre a oferta de qualificação por instituições de ensino nos próximos anos.

As análises do estudo focam em quatro principais áreas: geração de energias renováveis, redes inteligentes de transmissão e distribuição, mobilidade elétrica, eficiência energética e resposta da demanda. O exercício de prospecção do ministério com relação ao mercado de trabalho na área de energia levou em conta “os desafios da transição energética para uma economia de baixo carbono” e as consequentes mudanças na estrutura econômica, social e política do país.

“No Brasil, o contexto dessa transição está se desenvolvendo com forte multidisciplinaridade, abrangendo ao mesmo tempo o crescimento das energias renováveis e a descentralização dos sistemas de geração, além das ferramentas disponibilizadas pela digitalização dos sistemas, impactando em aspectos regulatórios e na democratização de acesso à energia”, explica o documento. Essas mudanças — e a forma como elas ocorrem — demandam novas competências profissionais, e, consequentemente, novas necessidades no campo da educação e formação.

Cenário futuro

Ainda de acordo com o estudo, para o futuro, novas competências são requeridas, como conhecimento em integração de fontes de energia renováveis e sistemas de armazenamento de energia; aprendizados sobre novos modelos de negócios e gestão energética; e uso de ciência de dados em gestão de operação e manutenção de sistemas.

Perfis

Perfis estruturantes
Profissionais desse perfil lidarão com temas como regulação e políticas públicas, modelo de negócios e impacto na rede. As principais profissões apontadas como promissoras são gestor de regulação e políticas públicas; gestor de modelo de negócios; e especialista de operação da rede.

Perfis tecnologias
Profissionais desse perfil deverão ter habilidades relacionadas à mobilidade elétrica, à geração de energias renováveis, a redes inteligentes de transmissão e distribuição e à resposta da demanda e eficiência energética. As principais profissões apontadas como promissoras são especialista de resposta da demanda; especialista de gestão energética; analista e gerente de projetos; analista e gerente de frotas; e técnico de sistemas de controle.

Perfis viabilizadores
Profissionais com esse perfil deverão ter competências ligadas ao uso de ciência de dados em gestão de operação e manutenção de sistemas elétricos e fabris. As principais profissões apontadas como promissoras nesse segmento são: analista, especialista e gerente de inteligência de mercado; especialista e gerente em financiamento; e consultor de novos negócios.

Acesse o estudo “Profissões do Futuro na Área de Energia e Implicações para a Formação Profissional”

Com informações do Ministério de Minas e Energia

Source: Portal Gov.br

Aplicativo avaliará a qualidade dos serviços de telecomunicações

0

O Governo Federal está desenvolvendo um aplicativo que ajudará o consumidor a avaliar a qualidade dos serviços prestados no Brasil pelas empresas de telecomunicações. O aplicativo ainda está em construção e é uma parceria entre o Ministério da Justiça e Segurança Pública e a Universidade de Brasília (UNB).

A nova plataforma contribuirá para que as empresas de telefonia cumpram as obrigações legais e, dessa forma, melhorem os serviços prestados. Segundo o Ministério da Justiça e Segurança Pública, o setor de telecomunicações está entre os com mais reclamações, ficando atrás apenas do setor financeiro. Entre as principais situações registradas no mercado de telecomunicações, segundo a pasta, estão: cobranças indevidas, má qualidade do sinal de internet e problemas no atendimento aos consumidores.

“O consumidor que baixar esse aplicativo em seu celular vai poder aferir a qualidade do sinal de internet móvel de onde ele estiver”, explicou o coordenador-geral de Estudos e Monitoramento de Mercado, da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacom), do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Frederico Moesch. “Nós temos aí uma legislação e uma regulamentação bastante técnica sobre a qualidade da internet e, por vezes, essa técnica fica de difícil compreensão para o consumidor. Então, o objetivo do aplicativo é que o consumidor receba informações sobre a qualidade da internet em formato amigável.”

O aplicativo informará sobre o sinal da internet por meio de cores. Se está amarelo, verde ou vermelho. “O consumidor, por meio desse aplicativo, vai poder também solicitar um relatório da atual situação do sinal para que, com as informações atualizadas, ele possa encaminhar para a operadora de telefonia para solicitar melhorias”, acrescentou Moesch.

Para a Senacon, esse aplicativo ajudará no monitoramento adequado do funcionamento do mercado de internet móvel no Brasil. “Ou seja, quanto mais consumidores utilizarem o aplicativo, melhor vai ser para esse trabalho de monitoramento de mercado, porque a Senacon vai receber mais informações; e, com isso, vai conseguir identificar quais são as regiões onde há maior problema e quais são os tipos de problemas”, explicou o coordenador.

Outras plataformas de monitoramento

A Senacon já possui outras plataformas de monitoramento de mercado. Uma delas é Consumidor.Gov, de resolução de conflitos entre fornecedores e consumidores. A plataforma, segundo Frederico Moesch, tem uma resolutividade alta no número de conflitos, de quase 80%. E leva, em média, 7 dias para que os conflitos sejam resolvidos.

Uma outra plataforma também administrada pela Senacon é o Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec). Esse sistema permite o registro das demandas individuais de quem recorre aos Procons. Ele consolida registros em bases locais e forma um banco nacional de informações sobre problemas enfrentados pelos consumidores.

“Com base nessas plataformas, é possível fazer um monitoramento do mercado conforme o setor, os principais problemas em cada setor, assuntos, números referentes a cada fornecedor e, com isso, você identifica problemas e propõe soluções para eles”, detalhou o coordenador-geral.

Source: Portal Gov.br

Campanha sobre consumo consciente destaca ações para economia de energia

0

Com a falta de chuvas, o país vem enfrentando a pior seca dos últimos 91 anos, o que vem afetando o nível das usinas hidrelétricas, geradoras de energia, principalmente no Sudeste e Centro-Oeste. Por isso, campanha do Ministério de Minas e Energia sugere a participação de todos na adoção de medidas de consumo consciente para evitar o desperdício. 

São atitudes simples como desligar o chuveiro enquanto estiver ensaboando, usar em casa lâmpadas de LED, que são mais econômicas, deixar a torneira fechada enquanto se escova os dentes e desligar equipamentos da tomada antes de sair.

“Temos todos os instrumentos, todas as condições de superar esse desafio. E é importante que todos participem disso, economizando naquilo que é possível economizar em energia, racionalizando o uso da água, preservando as nossas águas, que não são apenas para a geração de energia, mas também para outros usos, como agricultura, consumo humano, irrigação, turismo, lazer”, afirmou o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque.

Outras sugestões da campanha são tomar banhos curtos, de no máximo dez minutos; evitar o uso de extensões e benjamins, pois ligar muitos aparelhos na mesma tomada desperdiça energia; além de colocar a geladeira longe do fogão e não deixá-la exposta ao sol, pois fontes de calor fazem com que ela trabalhe mais.

Matriz energética

As hidrelétricas predominam na matriz energética brasileira, representando 65% da produção de eletricidade do parque gerador do país. Por isso, o nível dos reservatórios e a produção de energia sofre o impacto do regime de chuvas.

Com menos chuvas, o nível dos reservatórios cai e o Governo recorre mais ao uso de termoelétricas, mas isso pode tornar o serviço mais caro. Dessa forma, o consumo consciente evita o desperdício de energia, contribui para preservar a água dos reservatórios e reduzir o valor da conta de luz.

“O Governo monitora o setor elétrico brasileiro 24h por dia, 365 dias por ano, E é dessa forma que estamos planejando para que o país mantenha a sua segurança energética e a energia no menor custo possível”, ressaltou Bento Albuquerque. “Todos fazem parte da solução do problema. E, dessa forma, nós temos trabalhado já há muito tempo de forma transparente em um diálogo permanente com todos os consumidores.”

Medidas

O Governo tem adotado medidas para reduzir os impactos da escassez de chuvas, de acordo com o ministro de Minas e Energia. “Desde o ano passado, quando nós observamos que teríamos um período hidrológico desfavorável, nós iniciamos a importação de energia da Argentina e do Uruguai. Também autorizamos despachos de usinas termelétricas para que nós pudéssemos preservar o máximo possível os nossos reservatórios.”

Segundo ele, o Governo também trabalha para preservar o máximo possível de águas nos reservatórios para que quando alcançarmos o fim do período seco, tenhamos água suficiente para gerar energia.

Diversificação da matriz

Outra medida é que a participação da hidroeletricidade na matriz elétrica brasileira tem cedido espaço a outras, desde os anos 2000, numa estratégia para reduzir a dependência desse tipo de fonte de energia, de acordo com o Ministério de Minas e Energia.

“Adotou-se não só a política de diversificação da matriz, por meio dos leilões de energia, os quais viabilizaram que outras fontes se tornassem bastante competitivas ao longo dos anos, protegendo os interesses do consumidor, mas também uma política de reforço significativo do sistema de transmissão brasileiro, o Sistema Interligado Nacional (SIN)”, explicou a pasta, em nota.

O SIN permite que os consumidores de um canto do país possam consumir a eletricidade gerada de outro quadrante brasileiro, quase que instantaneamente, reduzindo a dependência das fontes de geração disponíveis em cada região.

A previsão do Operador Nacional do Sistema (ONS) é que os reservatórios chegarão até o fim do mês de junho com níveis de 80,5% no Norte; 68,5% no Sul e 55,1% no Nordeste. A estimativa é de que as unidades localizadas na região Sudeste/Centro-Oeste encerrem junho com 28,9% de volume de água.

Veja a campanha de consumo consciente

Source: Portal Gov.br

Antecipado calendário de transferências e saques da 3ª parcela

0

O Ministério da Cidadania antecipou o calendário de transferências e saques da terceira parcela do Auxílio Emergencial 2021 para o público inscrito via canais digitais e do Cadastro Único. O mesmo procedimento já havia sido adotado para permitir o acesso com antecedência à primeira e à segunda parcelas.

Os depósitos na conta social digital têm início nesta sexta-feira (18) para os aniversariantes de janeiro, uma antecipação de dois dias. Pelo cronograma anterior, eles receberiam no domingo (20). A mudança mais significativa será para os nascidos em dezembro, que passam a ter direito à terceira parcela ainda em junho, no dia 30, junto com quem faz aniversário em novembro. Antes, quem nasceu no último mês do ano receberia em 21 de julho.

“O trabalho realizado pelo Ministério da Cidadania e seus parceiros têm possibilitado a antecipação dos pagamentos, mostrando que a operação está sendo realizada com eficiência. O dinheiro chegará mais cedo a quem mais está sofrendo com as consequências econômicas geradas pelo novo coronavírus”, afirmou o ministro da Cidadania, João Roma.

A mudança também tem impacto nos saques. O calendário original previa o início da fase de retirada do dinheiro da terceira parcela em 13 de julho. Pelo novo cronograma, a data passa a ser 1º de julho, para nascidos em janeiro.

Da mesma forma que nos créditos em conta, a alteração é mais perceptível para os nascidos no fim do ano. Os aniversariantes de novembro, que teriam acesso aos saques em 10 de agosto, passarão a ter essa possibilidade 24 dias antes, em 16 de julho. Para os aniversariantes de dezembro, o cronograma foi antecipado em 23 dias. Agora será em 19 de julho.

O modelo de escalonamento das transferências e saques, adotado no ano passado, segue sendo executado em 2021, com o objetivo de evitar filas e aglomerações nas agências da Caixa Econômica Federal e nas lotéricas.

Para o público do Auxílio Emergencial 2021 incluído no Bolsa Família, nada muda. Os repasses continuarão sendo feitos de acordo com o calendário habitual do programa. Em junho, o início dos repasses será na próxima quinta-feira (17) para quem tem Número de Identificação Social (NIS) com final 1.

 

Com informações do Ministério da Cidadania

Source: Portal Gov.br

Valor da Produção Agropecuária de 2021 deve registrar aumento real de 11,8%

0

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de maio deste ano atingiu o valor de R$ 1,11 trilhão. A cifra é 11,8% superior ao obtido em 2020, que foi de R$ 993,9 bilhões. As maiores contribuições para o crescimento são observadas em arroz, milho, soja e carne bovina, que tiveram dois anos consecutivos de forte aumento de preços reais.

As lavouras tiveram um aumento do VBP de 15,8%. A pecuária, 3,8%. Essas duas atividades obtiveram neste ano o mais elevado valor em 32 anos.

Os produtos que tiveram os maiores acréscimos do VBP foram arroz (5,7%), milho (20,3%), soja (31,9%) e trigo (35,1%). Com crescimento mais modesto, encontram-se cacau e cana de açúcar.

De acordo com o coordenador de Avaliação de Políticas e Informação da Secretaria de Política Agrícola, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, José Garcia Gasques, apesar de terem existido períodos de seca que afetaram lavouras, como milho e feijão, os preços têm contribuído para reduzir esse impacto. Esses efeitos foram sentidos, principalmente, no Paraná e em Mato Grosso. O milho foi particularmente prejudicado. A segunda safra, que é a mais importante, teve uma redução em relação a 2020, de 5 milhões de toneladas, e menor produtividade de grãos.

O crescimento do VBP pode ser atribuído, como destacado em relatórios anteriores, ao excepcional desempenho das exportações de soja em grãos e carnes, preços favoráveis e a safra de grãos, que apesar de problemas de falta de chuvas ocorridos, mesmo assim as projeções da Companhia Brasileira de Abastecimento (Conab) e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) são de uma safra expressiva.

Os dados regionais do VBP continuam mostrando a liderança de Mato Grosso com participação de 17,2% no valor; Paraná, 13,2%; São Paulo, 11,2%; Rio Grande do Sul, 10,8%; e Minas Gerais, 10%.

O que é VBP

O VBP mostra a evolução do desempenho das lavouras e da pecuária ao longo do ano e corresponde ao faturamento bruto dentro do estabelecimento. Calculado com base na produção da safra agrícola e da pecuária e nos preços recebidos pelos produtores nas principais praças do país, dos 26 maiores produtos agropecuários do Brasil.

O valor real da produção, descontada a inflação, é obtido pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) da Fundação Getulio Vargas. A periodicidade é mensal com atualização e divulgação até o dia 15 de cada mês.

Acesse o VBP

Com informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Source: Portal Gov.br

Combate à violência contra a mulher será incluído no currículo escolar

0

Conteúdos relativos aos direitos humanos e à prevenção de todas as formas de violência contra a criança, o adolescente e a mulher farão parte, como temas transversais, dos currículos da Educação Básica. A determinação, assinada pelo Presidente da República, Jair Bolsonaro, altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. A inserção tem como objetivo incentivar ações educativas sobre os temas nas escolas públicas e privadas de todo o país.

A nova lei tem uma importância significativa na conscientização das futuras gerações, como explicou a secretária Nacional de Políticas para as Mulheres, Cristiane Britto.

“A Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres acredita na educação das crianças como o melhor caminho para a superação da violência contra as mulheres. Inclusive, gostaríamos de ressaltar que estamos trabalhando na expansão do projeto Maria da Penha na Escola, justamente para oferecer condições para que os educadores possam abordar o tema nas unidades escolares”, explicou Cristiane Britto.

Semana Escolar de Combate à Violência contra a Mulher

A nova lei institui ainda a Semana Escolar de Combate à Violência contra a Mulher em escolas públicas e privadas do Ensino Básico. A data será lembrada todos os anos em março, também com a finalidade de incentivar a reflexão sobre a prevenção e o combate à violência contra a mulher.

Como determina a Lei, a Semana terá como objetivos:

– Contribuir para o conhecimento da Lei Maria da Penha;

– Impulsionar a reflexão crítica entre estudantes, profissionais da educação e comunidade escolar sobre a prevenção e o combate à violência contra a mulher;

– Integrar a comunidade escolar no desenvolvimento de estratégias para o enfrentamento das diversas formas de violência, notadamente contra a mulher;

– Abordar os mecanismos de assistência à mulher em situação de violência doméstica e familiar, instrumentos protetivos e os meios para o registro de denúncias;

– Capacitar educadores e conscientizar a comunidade sobre violência nas relações afetivas;

– Promover a igualdade entre homens e mulheres, de modo a prevenir e a coibir a violência contra a mulher; e

– Promover a produção e a distribuição de materiais educativos relativos ao combate da violência contra a mulher nas instituições de ensino.

“Os profissionais da educação certamente vão aderir à proposta e unir esforços em favor da vida das nossas mulheres. Nós acreditamos que é por meio da educação que iremos transformar o Brasil num país que verdadeiramente respeita as mulheres”, acrescentou a secretária Cristiane Britto.

Ligue 180

A violência contra a mulher pode ser denunciada por meio da Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, o Ligue 180.

Segundo o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, de janeiro a maio deste ano, a Central registrou 28,1 mil denúncias de violências contra as mulheres.

Por meio do Ligue 180, é possível fazer qualquer denúncia de violência contra a mulher. O serviço, gratuito e confidencial, tem por objetivo receber denúncias de violência e reclamações sobre os serviços da rede de atendimento à mulher. Também orienta as mulheres sobre os direitos e a legislação vigente, encaminhando-as para outros serviços quando necessário.

A central funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana, inclusive fins de semana e feriados. Pode ser acionada de qualquer lugar do Brasil e de outros países.

Source: Portal Gov.br

Campanha incentiva a doação de sangue

0

A campanha nacional de doação de sangue foi lançada nesta segunda-feira (14), Dia Mundial do Doador de Sangue, pelo Ministério da Saúde. O tema é “Doe sangue regularmente. Com a nossa união, a vida se completa”.

Cada doação de sangue pode beneficiar até quatro pessoas. Vítimas de acidentes, pessoas em tratamento de câncer, com anemias crônicas e que passaram por cirurgias estão entre as que precisam de doação de sangue.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que a doação de sangue é um ato de solidariedade que reafirma o compromisso com a vida e chamou a população a doar. “É importante a doação regular de sangue. Doe sangue regularmente. Vamos nos unir para manter nossos bancos de sangue com reservas suficientes para atender a população brasileira”, afirmou. “É uma política pública muito bem-sucedida que antes, durante e após a crise sanitária continuará no centro das nossas atenções.”

“Neste momento, é necessário incentivar a prática entre nossos amigos e familiares para garantir a manutenção dos estoques de sangue nos hemocentros em todo o país. Por isso, a doação periódica e constante é essencial, mas podemos nos unir para aumentar o número de doações”, frisou a Primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

 

Incentivo à doação

Houve uma redução na doação de sangue em todo o país desde a chegada da Covid-19, de acordo com os dados do Ministério da Saúde. Em 2019, foram 3.271.824 coletas de sangue no Brasil e, em 2020, 2.958.665 por causa da menor circulação de pessoas provocada por conta do novo coronavírus.

O ministério alerta que, embora tenha havido redução das cirurgias eletivas no país, permanece diária a demanda de sangue por pessoas que têm doenças crônicas, fazem tratamento de câncer, sofrem acidentes e têm complicações em cirurgias e partos que causam hemorragias, por exemplo.

Depoimentos de doadores e receptores de sangue foram exibidos no evento. Um deles é Fernando Fidelis, que tem anemia falciforme e por isso precisa frequentemente de transfusão de sangue. “Eu tiro boa parte do meu sangue e tomo um outro sangue novo. Por conta dessa troca de sangue eu tenho uma vida normal”, contou.

Rede de atendimento

No Brasil, existem 32 hemocentros públicos, com pelo menos um em cada estado. Além de 2.175 serviços de hemoterapia, entre públicos e privados.

As unidades estão preparadas para acolhimento com medidas de prevenção à Covid-19, como agendamento para minimizar a aglomeração de pessoas, higienização das áreas, lavagem de mãos e uso de antissépticos.

Em 2020, o Ministério da Saúde investiu R$ 1,8 bilhão em toda a estruturação, modernização, qualificação de profissionais da rede de sangue e hemoderivados e no fornecimento de medicamentos de alto custo para pacientes portadores de doenças hematológicas.

Doação e vacina da Covid-19

O Ministério da Saúde tem incentivado os brasileiros a doarem sangue antes de serem vacinados. Isso porque há um impedimento temporário para que aqueles que receberam certos tipos de vacinas compareçam aos locais de doação.

No caso do imunizante produzido pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, por exemplo, o período de inaptidão temporária é de 48 horas após cada dose. Para quem recebeu a vacina AstraZeneca/Oxford, produzida no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), é de sete dias após cada dose.

O que é preciso para ser doador

Ter idade entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos. Os menores de 18 anos devem ter consentimento formal do responsável legal

Pesar no mínimo 50 kg

Estar alimentado. Não ingerir alimentos gordurosos antes da doação

Ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas

Apresentar documento de identificação com foto emitido por órgão oficial. Serão aceitos documentos digitais com foto

Os doadores do sexo masculino devem manter um intervalo de dois meses entre uma doação e outra com o máximo de quatro doações no período de um ano. Para a mulher, o intervalo é de três meses com o máximo de três doações ao ano

Impedimentos temporários para a doação

Gripe, resfriado e febre: aguardar 7 dias após o desaparecimento dos sintomas

Infecção pelo novo coronavírus: aguardar 30 dias após a completa recuperação

Período gestacional

Período pós-gravidez: 90 dias para parto normal e 180 dias para cesariana

Amamentação: até 12 meses após o parto

Ingestão de bebida alcoólica: aguardar 12 horas após o consumo

Exames/procedimentos com utilização de endoscópio nos últimos 6 meses

Vacina da febre amarela ou sarampo: aguardar 4 semanas após a vacinação

Tratamento dentário cirúrgico como extração, tratamento de canal: 7 dias após o procedimento e/ou suspensão dos medicamentos

Impedimento definitivo

Ter passado por um quadro de hepatite após os 11 anos de idade

Evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças transmissíveis pelo sangue: hepatites B e C, Aids (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV 1 e 2 e doença de Chagas

Uso de drogas ilícitas injetáveis

Source: Portal Gov.br

Vacina covid-19 da Janssen chega ao Brasil nesta semana

0

O Governo Federal deu mais um importante passo para acelerar o processo de vacinação contra a Covid-19. O Ministério da Saúde conseguiu antecipar mais de 3 milhões de doses da vacina da Janssen, fabricada pela farmacêutica Johnson & Johnson.

“O FDA aprovou o envio das doses da Janssen. E temos um ponto positivo: o fato de que essas doses têm um desconto de 25% em relação ao valor anteriormente acertado. E isso ocasiona uma economia de cerca de R$ 480 milhões”, destacou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

Ainda de acordo com o ministro, o pagamento só ocorrerá em relação às doses que forem efetivamente aplicadas. “Nós já informamos que essas doses têm um prazo de validade mais curto e, por conta disso, o Programa Nacional de Imunizações decidiu que essas doses deveriam ser aplicadas nas capitais”, pontuou.

A previsão é que a primeira remessa de imunizantes chegue nesta semana. Entre as novidades, está a aprovação da Food and Drug Administration (FDA) sobre a expansão do prazo de validade dessas doses, que foi ampliado até 8 de agosto. A ampliação do prazo precisa da validação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), prevista para esta segunda-feira (14).

Arnaldo Correia de Medeiros, secretário de Vigilância em Saúde (SVS), lembrou que a vacinação da Janssen é dose única e que isso resulta em celeridade na imunização dos brasileiros, uma vez que 3 milhões de pessoas completarão o esquema vacinal com essa remessa.

Eficácia da vacina

A vacina da Janssen é dose única e tem 85% de eficácia, após 28 dias da data da aplicação na prevenção da forma severa da Covid-19 em todas as regiões nas quais o estudo foi promovido.

Já nos casos em que a doença se apresentou de forma moderada, a eficácia foi de 66%. Os dados de eficácia e segurança se baseiam em estudo com 43.783 participantes em oito países, incluindo o Brasil, de três continentes com uma população diversa e ampla, sendo 34% dos participantes com mais de 60 anos de idade.

A vacina covid-19 da Janssen possui condições de armazenamento e transporte que permitem a distribuição dentro da infraestrutura e logística já existentes para medicamentos e vacinas no Brasil. Isso facilita o transporte logístico para todos os municípios do país.

Vacina AstraZeneca/Fiocruz

Um novo lote do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) chegou no Brasil na noite desse sábado (12), no aeroporto do Galeão, Rio de Janeiro. O insumo será utilizado para a fabricação de vacinas covid-19 pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Com a remessa da matéria-prima, importada da China, será possível produzir mais de 6 milhões de doses da vacina AstraZeneca/Fiocruz e cumprir um cronograma de entregas ao Ministério da Saúde até 10 de julho.

Com informações do Ministério da Saúde

Source: Portal Gov.br

Liberada nova etapa da travessia urbana de Petrolina (PE)

0

O Ministério da Infraestrutura deu mais um passo no plano do Governo Federal de interiorizar a logística. Nesta segunda-feira (14), em Petrolina (PE), o ministro Tarcísio Gomes de Freitas liberou ao tráfego o primeiro de dois viadutos que compõem o projeto de adequação da travessia urbana, envolvendo as BRs 428 e 407, e fiscalizou o andamento das demais etapas. A nova estrutura, no km 188,2 da BR-428/PE, que no trecho urbano leva o nome de Avenida Sete de Setembro, impactará diretamente na melhoria da mobilidade do município. O outro viaduto, no km 190,4, deve ser concluído até agosto.

Com mais de 190 quilômetros de extensão, a BR-428/PE é uma importante via de ligação do interior com demais capitais do Nordeste para o escoamento da produção agrícola do Vale do São Francisco, praticamente acompanhando o leito do rio, entre Petrolina e Cabrobó, onde tem início no entroncamento das BRs 116 e 316.

Para a construção do viaduto, com cerca de 600 metros de extensão e 7,5 metros de altura, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) executou serviços de infraestrutura, mesoestrutura e superestrutura de obra de arte especial, além de instalar defensas com barreiras de concreto divisória do tipo “New Jersey “, aterro com terra armada, terraplenagem, pavimentação e sinalização.

Com informações do Ministério da Infraestrutura

Source: Portal Gov.br

Aneel disponibiliza canal para denúncias sobre segurança de barragens do setor elétrico

0

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) passou a disponibilizar à sociedade um canal de comunicação para denúncias sobre possíveis irregularidades em barragens de armazenamento de água para fins de geração de energia elétrica.

Para formalizar a queixa, não é necessário se identificar. No entanto, caso o delator deseje receber informações quanto ao desdobramento da denúncia e ao tratamento dado pela Aneel, deverá cadastrar algum meio de contato. Nesse caso, ficam garantidas a privacidade e a confidencialidade.

Acesse o formulário de denúncias

Com informações da Aneel

Source: Portal Gov.br

Redes Sociais